• Diário Macabro

EDITAL "DOSSIÊ MACABRO: TV TRASH"

Organização: Fábio Aresi e Greg Polo



Você liga a TV de tubo e toda a sua família está sentada no sofá. Cada mudança de canal e cada programa prestes a iniciar na grade horária é uma surpresa, um convite para a alegria entrar na sua casa pela telinha. Mas e se, neste dia em particular, tudo der errado? E se os mortos se levantarem no meio da matéria policial, para o choque e desespero dos repórteres? E se, durante um dos embates televisionados do Padre Quevedo, ele for confrontado por um demônio real? O que estaria por trás do emblemático incêndio do cenário do programa da Xuxa? E se um dos cenários escolhidos para as gravações da nova novela das 8 fosse mal-assombrado? Que tenebrosas surpresas que poderiam surgir num rotineiro show de calouros?

Se existe um elemento que podemos considerar responsável por moldar a identidade cultural do Brasil nos anos 80, 90 e início dos anos 2000, esse elemento é seguramente a televisão. Os anos 80 viram a unificação de pequenas emissoras regionais formando grandes redes de telecomunicação, que dariam início à Era de Ouro da história televisiva do país. Das populares telenovelas aos matinais programas infantis e aos shows de auditório dos finais de semana, a programação dos canais da TV aberta sempre manteve brasileiros de todas as idades colados diante das telas, dia e noite. As disputas por Ibope eram ferrenhas; as grades de programação, repletas de situações inusitadas; nos bastidores, sabe-se lá o que acontecia por trás das câmeras…

É como forma de homenagem a esse período icônico da cultura brasileira que a Editora Diário Macabro apresenta o novo número de sua série Dossiê Macabro: TV Trash, organizado por Fábio Aresi e Greg Polo. Convidamos todos os autores a deixar rolar a imaginação, dando vida a histórias assombrosas (uma dose de humor também é muito bem-vinda) que sejam ambientadas durante programas típicos da TV brasileira dos anos 80, 90 e início de 2000. A ideia é que as histórias, reais ou fictícias, possam fazer referência a personagens e quadros clássicos da televisão aberta, sob uma roupagem de horror, abrangendo todos os seus subgêneros.

Então relaxe e curta a programação. Caso você fique assustado, de nada adiantará trocar de canal, pois na grade horária só terá espaço para o horror.

Regras temáticas:

· Todos os contos devem ser de terror, em qualquer uma de suas vertentes. O humor, em doses apropriadas, também é bem-vindo.

· A história deve ser obrigatoriamente situada em algum programa de televisão brasileiro dos anos 80, 90 ou início dos anos 2000 (real ou inventado por você), seja no programa em si, seja em bastidores ou qualquer ambiente derivado.

· A proposta central da antologia é utilizar-se de um programa de televisão brasileiro para prestar homenagem à nossa TV da época. Referências a programas, celebridades e fatos acontecidos nesse contexto podem aparecer. Exemplos de programas que podem ser trabalhados: programas de auditório, novelas, jornais, programas sensacionalistas, filmes, programas infantis, programas esportivos etc. Dica: pegue fatos sinistros e desenvolva o terror a partir disso! Que macabrice, por exemplo, será que está por trás do incêndio no cenário do programa da Xuxa? Será que, ademais, todas as vídeo-cacetadas foram realmente acidentes? Ou, ainda, o que será que a Feiticeira escondia por detrás da máscara?

· ATENÇÃO: nomes de pessoas e programas reais devem ser ADAPTADOS, a ponto de serem associados à pessoa real, sem que o verdadeiro nome seja utilizado. Exemplos: Programa do Gagá, grupo É o Tchê, Domingão do Feijão, Programa do Gatinho, a apresentadora Sara Sapatilha etc.

Regras de formatação:

· As obras a serem inscritas devem estar escritas em língua portuguesa, no formato de conto com o máximo de 25 mil caracteres com espaço. Não há mínimo de caracteres.

· O envio das obras para seleção deve ser feito através do e-mail: dossiemacabro@gmail.com

· O assunto do e-mail deve ser “Inscrição TV TRASH – nome do conto”.

· O CONTO deve ser nomeado apenas com o NOME DO CONTO. O nome do autor pode aparecer no e-mail, mas não pode estar em lugar nenhum do arquivo do conto. Caso esteja, será desclassificado.

· O arquivo a ser anexado deve ser do tipo DOC (Word) com formatação em Times New Roman, tamanho 12, espaçamento 1,5, formato A4.

· Todos os diálogos do conto devem ser feitos com travessão (que não é a mesma que hífen nem meia-risca) e não aspas. Não utilizar itálico em diálogos.

· Palavras em idiomas estrangeiros, gírias e pensamentos de personagens devem ir em itálico.

Inscrições:

· As inscrições estarão abertas a partir do dia 16 de agosto de 2020 e se encerrarão no dia 18 de outubro de 2020, às 23:59 horas, horário de Brasília.

· O limite de envios é de 2 contos por autor. Apesar disso, apenas 1 conto por autor será selecionado, caso ambos sejam aprovados pelos organizadores.

· Serão selecionados 15 autores que, somados aos organizadores, totalizarão em 17 contos.

Pagamento:

· Cada autor deverá pagar a taxa de 250,00 à vista no boleto ou 270,00 no cartão de crédito, parcelados em até 3 vezes, caso selecionados. Não há taxa alguma para o envio e análise dos textos.

· Essa taxa dá o direito a 6 (seis) exemplares que serão entregues com frete grátis para cada autor aprovado. Esses exemplares serão enviados como pagamento de direitos autorais da antologia, pelo quais os autores não receberão percentuais financeiros.

· Cada autor receberá, também, marcadores de páginas e outros brindes temáticos da antologia.

· Após a primeira tiragem, os autores poderão comprar mais exemplares diretamente com a editora com o desconto de 35% sobre o preço de capa.

756 visualizações

©2020 by Editora Diário Macabro.